A casa pós pandemia

Atualizado: Out 28

A forma com que nos relacionamos com a nossa casa tem mudado junto com a intensidade do seu uso durante a quarentena. Esse espaço, que já era o nosso lugar de refugio, teve o sentimento de acolhimento e segurança exaltado transformando completamente nossa relação com ela. Mergulhamos em cada ambiente, pensamos em como torná-la mais agradável e nos apropriamos dela de verdade, o que gerou novos pensamentos e desejos sobre os espaços construídos exigindo maior envolvimento dos profissionais que a projetam. As pessoas estão aprendendo e explorando o máximo que uma casa pode oferecer. Por isso, imagino que os espaços tendem a ser pensados de forma mais versátil, ou seja, muitos pontos vão mudar após a pandemia e alguns deles são:

Projeto Hyperions, do arquiteto futurista Vincent Callebaut


Cores e materiais

De acordo com a Suvinil estamos refletindo sobre o interno e o externo, cada vez mais procurando ressignificado, buscando uma reflexão sobre quem somos, quais são os nossos valores e como será o futuro. É um momento de reavaliação, para repensar o que estamos fazendo e consumindo. Precisamos ser mais sustentáveis e naturais, por isso, o protagonismo está em cores mais dessaturadas e terrosas.

A busca por revestimentos que sejam de fácil limpeza e manutenção já vinha aumentando nos últimos tempos, essa procura se intensificou com a necessidade de espaços mais limpos e saudáveis. Paredes lisas, papeis de parede laváveis, rejuntes mínimos, superfícies artificiais mais resistentes e menos suscetíveis a ranhuras que possam acumular sujeira, são alguns dos materiais que estarão ainda mais em alta daqui para frente. Como a pandemia nos afastou da rua e consequentemente do contato com a natureza. A vontade de trazer a natureza para dentro de casa só aumentou, sendo assim cresce tudo o que leva a intenção para o natural.

Hall de Entrada – Higiene e Purificação

Repensar o chegar será obrigatório, as entradas serão redesenhadas em função da higiene necessária para evitar a contaminação. O hall será um local de parada, onde deixaremos parte das coisas que trazemos da rua, a fim de, garantir a saúde e segurança dos moradores. Essa tendência de delimitar a área externa da área interna parece ter vindo para ficar. Em anos anteriores, futuristas acreditavam que o Hall seria um grande armário com luz ultravioleta para exterminar essas ameaças invisíveis. Em tamanho mais realista, a Pura-case é o protótipo do arquiteto Carlo Ratti para a entrada da casa: o ozônio purifica as roupas e evita que precisemos lavá-las diariamente.


Protótipo do Pura-case

Espaços Verdes

Antes da pandemia a ideia da urban jungle já era muito forte, o que só se intensificou ao passo que a necessidade de se conectar com a natureza é uma forma de manter o bem estar no ambiente em que vivemos. O isolamento social fez com que muita gente perdesse a conexão com a natureza. Com isso, a necessidade de ter um espaço verde em casa cresceu.


O verde ganhou mais importância nas residências e espaços públicos, pela melhora na qualidade do ar, conforto térmico e acústico. Além dessas qualidades projetuais, o jardim promove sensação de aconchego e contato com a natureza. O arquiteto futurista Vincent Callebaut foi preciso ao desenhar o Hyperions, que mistura engenharia, natureza e comunicação. Pois, vamos querer viver em comunidade, mas com segurança e em meio ao verde.


Projeto Hyperions, do arquiteto futurista Vincent Callebaut

Minimalismo

A casa será mais viva, habitada somente com o essencial, móveis organizados de acordo com as necessidades da nova rotina. Menos consumo, menos status, mais vida real e adaptação ao que importa. A redução na quantidade de objetos está ligada a necessidade de repensar o consumo tanto pela crise econômica como para a sustentabilidade do planeta. Além da procura pela praticidade do dia a dia e facilidade com a limpeza.

Home Office

Uma tendência de antes da pandemia, esse processo é o mais impactante na vida das pessoas, que estão aprendendo a trabalhar de uma nova maneira. O home office passou a ser parte fundamental da casa pós-pandemia, por isso, a demanda por casas assim só tende a crescer e a ideia é que as novas casas já venham pensadas para este novo uso. E para aquelas que ainda não se adaptaram os designer já pensaram em soluções como está mesa de papelão que pode facilmente ser desmontada e transportada para outros lugares permitindo com que a pessoa possa trabalhar em diferentes ambientes dependendo da necessidade do momento.

Home office portátil: mesa de papelão que se desmonta em três peças, da Stykka

Memórias

Infelizmente, a pandemia acabou afastando fisicamente as famílias e por isso, especialistas acreditam que existe a tendência do aumento de objetos afetivos, que contem história e tragam boas memórias para proporcionar um maior aconchego a casa em tempos difíceis. Esse fator é extremamente importante para a nossa saúde mental e psicológica.

Tecnologia e automação

Passando mais tempo em casa as pessoas passaram a executar tarefas que não faziam antes. Com isso, a indústria aprimora eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos que facilitam a nosso dia a dia, trazendo mais conforto e nos ajudando a ter mais autonomia. Exemplos são: os aspiradores robôs; as assistentes de voz; espelhos com programas de exercícios ou check-ups. Na feira de tecnologia CES de 2020 foi apresentado o espelho Poseidon, que promete um rápido check-up de pele e de vista.

Espelho Poseidon

Bem Estar - Iluminação e Ventilação

Saúde e bem-estar eram quesitos usados para diferenciar projetos de moradias e agora eles serão imprescindíveis, afirmou à revista Veja (ed. 27/5/20) Joanna Frank, presidente da empresa americana Fitwel, referência internacional em certificação de prédios saudáveis. A casa ideal construída pós-pandemia, segundo ela, terá claraboias, janelas grandes, terraços, varandas e pátios para exercícios físicos e meditação.

Um dos principais pontos que o arquiteto deve priorizar em um projeto é a entrada de luz e ventilação natural. Uma vez que, esses requisitos geram ganhos fundamentais no projeto, diminuindo gastos com energia, melhorando o conforto térmico e a qualidade do ar. Com a pandemia, se tornou mais evidente a necessidade destes cuidados, pois contribuem para a saúde do espaço.

Em entrevista ao site Dezeen, o arquiteto ucraniano Sergey Makhno aponta que purificar o ar nos interiores será fundamental. Portanto, modelos como o purificador de ar Guilin Lamp passarão a ser novos objetos de desejo, porque além de limpar o ar, também traz design e iluminação ao ambiente.

Guilin Lamp

Fim do Living Integrado

O Projeto Hestia acredita que aos poucos, casas e apartamentos darão adeus a um movimento comum nos últimos tempos, de integrar ambientes. Em vez disso, teremos espaços mais compartimentados, se dividindo com leveza. Isso acontece porque os moradores terão o desejo de resguardar mais sua individualidade, após um período de convívio intenso com a família. Durante a quarentena, aprendemos que a nossa individualidade tem muito valor. Contudo, não pense em paredes, e sim em leves e modernas divisões.

Reaproveitamento / Sustentabilidade

Reaproveitar algo que seria descartado e transformá-lo em algo diferente, com novo uso e propósito, nunca esteve tão em alta. A ideia do MENOS É MAIS será uma tendência porque depois de tudo o que vivemos, consumir por consumir finalmente saiu de moda. Estamos repensando mais a maneira de consumir, pois estamos mais ligados a sustentabilidade não só pela crise econômica, mas também pelo fato das pessoas reverem valores e mudarem alguns hábitos ao entender que os recursos são finitos.

Nova forma de morar

Cresceu a vontade de viver na casa de campo ou de praia. Uma pesquisa realizada pelaThe Harris Poll mostra que quase 40% das pessoas que vivem na cidade, consideram se mudar para local com maior qualidade de vida (Fast Company, 2020).


A flexibilidade do home office aliada ao conforto e tranquilidade das casas de veraneio gerou a busca por adequações nos projetos. Deixando a cargo dos arquitetos proporcionar o contato com a natureza e praticidade do dia a dia, criando uma nova tendência de mercado e impulsionando até um certo efeito de êxodo urbano.


O projeto Janelas CASACOR, exercício criativo e de reflexão, com o objetivo de trazer, conceitos e ideias de quem pensa a casa, transformando tudo em soluções para as angústias das pessoas, traduzindo a casa dos novos tempos. O projeto será composto por vitrines espalhadas pelo Brasil materializando a casa pós-pandemia.

O papel do arquiteto será transformar essas mudanças e vencer os desafios, criando recursos e novos espaços para uma sociedade mais saudável e sustentável tanto para esta como para as próximas gerações. E você como pensa que será a casa pós-pandemia? Conta para mim aquilo que você entende como essencial depois do coronavírus.


_____________________________________________

ESTE CONTEÚDO NÃO É PATROCINADO.

_____________________________________________

Se você tiver alguma curiosidade, dúvida ou ponto de melhoria ficarei feliz em saber! Pode deixar aqui mesmo ou enviar para arq.larissacampos@gmail.com. Para conferir outros conteúdos diariamente, siga o instagram @arq.larissacampos. Se quiser, fique a vontade para sugerir temas para os seguintes! Até a próxima =)

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Pinterest

@2016 - 2020 por Larissa Campos